Geração de Energia Elétrica (RSU)

Geração de Energia Elétrica (RSU)

Salvando nosso ambiente do lixão - Resíduos Sólidos Urbanos


Hoje, a legislação Brasileira do Meio Ambiente exige providências dos gestores municipais quanto à boa gestão do lixo urbano. Da adoção desta prática, os municípios poderão ter resultados de natureza econômica financeira e política.

No aspecto econômico financeiro, com a transformação dos resíduos urbano em energia, existem vários estudos de viabilidade econômica financeira que demonstram a conveniência de se adotar tais medias, principalmente quando a necessidade de recursos financeiros é financiada pelo BNDES (Financiamento do BNDES) a juros subsidiados, fato que assegurará a possibilidade de obtenção de recursos financeiros para os municípios pela venda da energia gerada às concessionárias e pela taxa de destinação do RSU.

Além de resolver problemas de natureza política e social, uma URE (Unidade de Recuperação de Energia, também conhecida por WTE) para o processamento de 2.560 t/dia de RSU (Resíduo Sólido Urbano) do município de Belo Horizonte representará um investimento da ordem de R$ 850 milhões de  reais com retorno (Pay Back) de 3,7 anos,  produzindo uma TIR (Taxa Interna de Retorno) para o Investidor, líquida do IR, da ordem de 3,5% ao mês.

Conheça mais acessando o documento ao lado.

Eng .    Sebastião Carlos Martins
Fone:   (31) 99645-0801

 

Incineração

Leia Mais sobre a Geração de Energia Elétrica através dos Resíduos Sólidos Urbano

Acorda BRASIL

Acorda BRASIL

Mazelas que empobrecem o País


Prezado Leitor

Nesta breve exposição pretendemos, através de nossos trabalhos de natureza tributária, demonstrar as mazelas que empobrecem a Nação Brasileira, bem como apresentar algumas soluções que poderão ser vistas em nosso livro (ACESSE O LIVRO) sobre o ISS das Instituições Financeiras (ISS – Instituições Financeiras)  e das Operações com Cartões com de Crédito e Débito (ISS – Cartões) que têm despertado interesse mundial, conforme mostrado no documento “ACORDA BRASIL”, ao lado.

Acorda Brasil

Leia mais sobre como a recuperação tributária pode auxiliar na recuperação e crescimento do País

Redução e recuperação de tributos

Redução e recuperação de tributos

Redução e recuperação de Tributos - Medidas legais


No meio empresarial, às vezes por errônea interpretação de profissionais das mais diversas áreas (administradores, contadores e advogados), os empresários deixam de discutirem possíveis créditos em via administrativa ou judiciária em decorrência de que se o fizerem serão fiscalizados pelo fisco.

O ato de fiscalizar, sendo o ente Federal, Estadual ou Municipal, é por norma cogente (obrigação) daquele órgão responsável para tanto, em nada em decorrência de aplicabilidade de discussão de crédito por parte do contribuinte.

O fisco por meio de verificação eletrônica e automática faz a verificação de possíveis inconsistências e se forem constatadas gerará relatório, também eletrônico, que ficará disponível ao contribuinte pelo e-CAC para verificação e correções, e passada esta fase, em não sendo sanadas, o fisco deverá notificá-lo para que providencie esclarecimentos e ou correções.

É o momento para os setores empresarias que vêm sendo EXTORQUIDOS pelo maléfico sistema PIS/CONFIS não cumulativo AGIREM, imediatamente, buscando assessorias e consultorias tributárias especializadas em RECUPERAÇÃO DE CRÉDITOS decorrente dos recolhimentos indevidos, nos últimos cinco anos, tomarem a coragem atitude de buscarem REAVER o que lhes foi injusta e ilegalmente tirado de seus cofres, gerando fluxo de caixa imediato para investir.

Mesmo raciocínio se aplica às contribuições previdenciárias patronais previstas na Constituição Federal, art. 195, inciso I, alínea a, in verbis:

Art. 195. A seguridade social será financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, nos termos da lei, mediante recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e das seguintes contribuições sociais.

Para maiores informações, acesse www.consultoriaiss.com/project/recuperacao-verbas-previdenciarias/

Elisão Fiscal

Redução e recuperação de tributos

Consórcios Públicos – Lei 11.107/2005

Consórcios Públicos – Lei 11.107/2005

Consórcios Públicos Lei 11.107/2005


Entende-se por consórcios públicos aqueles contratos celebrados entre pessoas jurídicas de Direito Público que detêm capacidade política (denominadas de entes da Federação) – a saber, União, Estados, Distrito Federal e Municípios – com vistas à realização de atividades eminentemente públicas, de interesse comum dos consorciados.

Desta forma, a união de municípios em busca de uma solução de problemas comuns e de interesses não conflitantes poderá viabilizar empreendimentos que, se conduzidos individualmente, seria inviável por extrapolar os recursos financeiros disponíveis, além de lhes assegurar uma uniformidades nas soluções e enfrentamento de problemas comuns.

Leia mais no documento completo ao lado.

 

Consórcios Públicos

Recuperação administrativa de pagamentos indevidos para a previdência

Planejamento tributário

Planejamento tributário

Planejamento tributário, elisão e evasão fiscal


O planejamento tributário é essencial para a sobrevivência das empresas, quer de natureza pública e privada.

Neste artigo pretendemos demonstrar suas vantagens.

Planejamento tributário é a “organização dos negócios e dos atos do indivíduo e das empresas de maneira a evitar ou reduzir o peso dos tributos”.

 

A redução de gastos é fator importante para que uma empresa se mantenha no mercado competitivo. É sob esse contexto que se insere o planejamento tributário, pois a partir dele, as empresas buscam desenvolver suas atividades, sem que disponham de grande parte de seu patrimônio para pagar tributos e sem que deixem de cumprir com suas obrigações tributárias.

Nesse sentido, o conceito de planejamento tributário encontra-se associado ao de elisão fiscal, sendo este o meio legal utilizado para tentar diminuir o valor a ser pago ao Fisco, decorrente da incidência tributária, ou ainda, evitar ou retardar tal incidência. Ao contrário da elisão, se o meio utilizado for ilícito, estaremos diante da evasão fiscal.

Durante nosso estudo, trataremos da elisão e da evasão fiscal, principalmente após a criação desta norma, abordando quais os principais motivos que não permitiram que o dispositivo em questão atingisse seu fim.

O presente estudo foi extraído do site www.jurisway.org.br. Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Marcelo Giacchin De Carvalho) e a fonte www.jurisway.org.br.

Planejamento Tributário

Conheça mais sobre as medidas para o planejamento tributário

Acesse e leia mais sobre o Livro do ISS das Instituições financeiras e cartões

Acesse e leia mais sobre o Livro do ISS das Instituições financeiras e cartões

Pretendemos levar ao conhecimento da sociedade brasileira e do gestor público o nosso livroISS das Instituições Financeiras e Administradoras de cartões de crédito e débito”. 

 

Neste livro, objetiva-se despertar o leitor para o ISS das Instituições Financeiras, das Administradoras de cartões de crédito e débito e dos estabelecimentos prestadores de serviços que deles se utilização, bem como sugerir uma reforma tributária para os municípios com vista à melhoria de arrecadação tributária vinculada a tais atividades.

Obrigado por participar!!!

You have Successfully Subscribed!